Emprego Curitiba


Artigo Publicado em: Emprego


Curitiba é a Capital do estado do Paraná tendo o 5º maior Produto Interno Bruto (PIB) do país.

A cidade conta com trabalho de exportação das 900 fábricas instaladas no bairro Cidade Industrial. É o segundo maior polo industrial automotivo do país e, com isso, duas das maiores fábricas automobilísticas estão localizadas na Grande Curitiba, como a Renault e Volkswagen. Com um parque industrial de 43 milhões de metros quadrados, a região metropolitana da cidade atraiu grandes empresas como ExxonMobil, Elma Chips, Sadia, Siemens e HSBC, além de grandes empresas locais como O Boticário e Positivo Informática.

Com todas essas empresas de grande nome no mercado, reunidas em uma cidade, a oportunidade de empregos para diversos segmentos se torna fácil e bastante atrativo.

No entanto, as atividades que geram o maior número de empregos são na área da administração pública, fabricação de veículos automotores, reboques e no cultivo de cereais, isto é, a indústria possui o maior salário médio mensal, em torno de 4,8 salários mínimos.

No caso da Elma Chips, grande empresa responsável pela produção de salgadinhos e aperitivos, oferece muitas chances de empregos no setor alimentício. O objetivo da empresa é agregar profissionais talentosos e interessados em crescer.

Vale ressaltar que a cidade tem o menor índice de desemprego do país e o rendimento médio de quem trabalha lá só fica atrás dos paulistanos e dos cariocas.

Através de sua desenvolvida indústria, Curitiba também tem se diversificado no comércio e varejo. Profissionais de diversas áreas têm chances de trabalhar em empresas de segmentos variados como em venda de móveis, produtos químico-farmacêuticos e metalúrgicos, em fábricas de eletrodomésticos, indústrias de gêneros alimentícios, hortifrutigranjeiros, produtos têxteis e artigos manufaturados em geral, sendo o grande diferencial da cidade.

O perfil dos profissionais no mercado de trabalho são os homens, quais apresentam uma ligeira predominância sobre as mulheres. Segundo estatísticas, em 2007, eles ocupavam 53% das vagas, enquanto as mulheres preenchiam os 47% restantes.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *